Gestão Integrada de Resíduos Sólidos : diagnóstico metropolitano norteia plano de BH

 

A Prefeitura de Belo Horizonte lançou no último dia 30 de março seu Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. A coordenadora do grupo técnico instituído para acompanhamento do plano na prefeitura, a engenheira sanitarista da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), Patrícia Dayrell salientou que o diagnóstico do Plano Metropolitano norteou a elaboração dos estudos na prefeitura. “Ele aponta uma estrutura para os próximos vinte anos no que se refere aos resíduos de serviços de saúde”, destacou. Ela afirmou ainda que o problema da gestão de resíduos sólidos não está só na falta de infraestrutura licenciada para a disposição final e destacou a importância de se priorizarem ações de redução, reciclagem e reaproveitamento.

O Plano Metropolitano de Gestão Integrada de Resíduos com foco em Resíduos de Serviço de Saúde (RSS) e Resíduos da Construção Civil e Volumosos (RCCV), foi desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento da RMBH com financiamento do Banco de Desenvolvimento Interamericano (BID) e finalizado em 2016.

A arquiteta da SLU, Aurora Pederzoli, salientou que mesmo que o plano lançado seja de Belo Horizonte, é muito importante observar os municípios do entorno, pois as ações ultrapassam os limites do município. A engenheira sanitarista, também da SLU, Bernadete Nunes complementou: “o nosso plano de RSS para Belo Horizonte mostrou a possibilidade dos resíduos de serviços de saúde serem pensados no âmbito metropolitano, permitindo uma articulação entre os municípios da região”.

O Plano Municipal

O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos da PBH é um instrumento de planejamento estratégico municipal, que contempla as diretrizes e ações para o manejo ambientalmente adequado e sustentável dos resíduos, assim como para a educação ambiental e mobilização social em um horizonte de vinte anos, enfatizando a sustentabilidade e a inclusão social.

 

 

 

Notícias Recentes