Plano de Mobilidade é um dos temas de fórum em BH

Belo Horizonte sediou nos dias 9 e 10 de novembro o 1º Fórum de Desenvolvimento Metropolitano da RMBH com o tema Mobilidade Urbana. O evento coordenado pelo Núcleo Belo Horizonte do Observatório das Metrópoles reuniu, na Escola de Arquitetura da UFMG, representantes de movimentos sociais, coletivos metropolitanos, pesquisadores, estudantes, técnicos, gestores públicos e outros interessados no tema da mobilidade.

No primeiro dia, foram realizadas quatro mesas-redondas, entre as quais a de “Mobilidade e Planejamento Metropolitano” que contou com a participação da diretora-geral da Agência de Desenvolvimento da RMBH, Flávia Mourão, com o tema “O Plano de Mobilidade no contexto do planejamento da reestruturação da RMBH”.

Flávia iniciou a sua apresentação falando sobre o histórico e os desafios da gestão metropolitana no Brasil, destacando a Lei 13.089/2015, que instituiu o Estatuto da Metrópole, com a prevalência do interesse comum sobre o local e o compartilhamento de responsabilidades para a promoção do desenvolvimento urbano integrado.

Ela falou sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI-RMBH) e suas macrodiretrizes metropolitanas, as ações e os projetos desenvolvidos ou em desenvolvimento pela Agência RMBH, destacando o Plano de Mobilidade da RMBH, que está em fase de construção, numa parceria entre a Setop e a Agência RMBH, que contrataram o Consórcio MobMetro para o desenvolvimento do plano.

A diretora-geral ressaltou que desde a instituição da Região Metropolitana de Belo Horizonte, em 1973, houve várias propostas para a questão da mobilidade metropolitana e esse acúmulo de ideias está sendo considerado para nortear as propostas e as ações do Plano de Mobilidade Metropolitano. Entre os objetivos gerais do plano estão otimizar o deslocamento de pessoas e bens na região, melhorar as condições de viagens e a acessibilidade a toda a RMBH, induzir e fortalecer a reestruturação espacial, aumentar a segurança viária e reduzir impactos ambientais, além de melhorar a articulação de gestão dos sistemas de transporte e trânsito e subsidiar a busca de financiamento de obras e intervenções.

Flávia destacou também a importância do envolvimento social e técnico na construção do plano, por meio do hotsite http://www.agenciarmbh.mg.gov.br/plano-de-mobilidade-rmbh/ e a expectativa dos resultados envolvendo a carteira de projetos e ações (projetos viários, projetos de transporte coletivo e logística urbana), banco de dados de planejamento, mapa viário metropolitano, plano de gestão compartilhada, modelo de integração do transporte coletivo, minutas de consolidação do plano, mapa viário metropolitano e manual de instalação e monitoramento de obras.

Além de Flávia Mourão, também participaram dessa mesa-redonda, Guilherme Tempieri, da D1Passo, com a apresentação “Incidências na transição de Governo”; e Renato Ribeiro, professor do curso de Engenharia de Transportes do Cefet-MG, com a apresentação “Redes de Mobilidade e Centralidades na Região Metropolitana de Belo Horizonte”.