Secretário Fernando Marcato participa de reunião gerencial com os servidores da Agência RMBH

Devido às medidas para conter a propagação da pandemia em Minas Gerais, adotadas pelo Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde, a Agência RMBH permanece executando a maioria de suas atividades em formato remoto. Por isso, no intuito de alinhar o trabalho exercido e conceder informações necessárias aos servidores, mensalmente, a diretoria do órgão realiza uma reunião gerencial que conta com a presença de um convidado externo para apresentação de projetos importantes e explanação.

Durante a manhã desta sexta-feira (30/7) ocorreu a gerencial de julho, que contou com a participação do secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, e da diretora de Planejamento e Transportes da Seinfra, Jéssica de Almeida. Na oportunidade, o secretário falou sobre os desafios e a importância do projeto Rodoanel. Uma apresentação detalhada sobre o traçado e impactos também foi compartilhada com os servidores da autarquia.

Contexto

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) possui localização estratégica no mapa logístico do país, sendo um dos principais elos de ligação entre as diferentes regiões do Brasil estruturas de escoamento. Nesse sentido, destaca-se o importante papel da infraestrutura mineira de transportes no escoamento de soja, milho, minério e ferro gusa. 

Sob a perspectiva rodoviária, sabe-se do fluxo relevante das cargas que passam pela região concentra-se no atual Anel Rodoviário, trecho que atravessa os limites urbanos de Belo Horizonte e há mais de uma década já demonstra sinais de saturação e impossibilidade de ampliação de sua capacidade em níveis necessários a assegurar fluidez e a segurança no tráfego.

Para além dos congestionamentos e atrasos no deslocamento em horários de pico no atual Anel Rodoviário, são registrados mais de 5.000 acidentes por ano, com aumento significativo dos riscos em função do fluxo intenso de veículos pesados em região de crescente adensamento.

Para fazer frente a esse desafio, o novo contorno da RMBH, que terá aproximadamente 100 km de extensão, criará um corredor logístico eficiente para conexão das diversas regiões do país, além de ligar alguns dos principais polos econômicos de Minas Gerais.

Sobre o Rodoanel

O Rodoanel ligará alguns dos principais polos econômicos de Minas Gerais, ampliando a malha viária do estado com melhoria na qualidade de vida da população e garantindo melhores vias de acesso. A região do Anel Rodoviário ficará, portanto, mais livre para a circulação de veículos coletivos e individuais, sendo possível a redução em torno de 1.000 acidentes por ano.

No contexto social, os benefícios gerados pelo Rodoanel na RMBH são muitos, tanto para os municípios próximos a ele, quanto para os mais distantes, seja de forma direta ou indireta, destacando-se:

• Aumento do PIB da RMBH – entre 7% e 13% de aumento do PIB em 10 anos;

• Aumento da produtividade da RMBH, com crescimento da produção entre 0,8% a 1,3% em 10 anos;

• Redução de deslocamento e tempo de viagem entre 30 e 50 minutos tanto para veículos de carga, quanto na mobilidade urbana;

• Geração de mais de 10.000 empregos diretos e indiretos;

• Segurança viária, com a previsão de uma rodovia com todos os recursos necessários para manutenção do serviço e do pavimento;

• Diminuição dos impactos ambientais por meio de compensações;

• Minimização das emissões de CO2 em quase 10%;

• Diminuição dos custos de carga e escoamento, gerando maior competitividade dos produtos mineiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *