Concurso premia melhores ideias para acessibilidade em Belo Horizonte

As propostas devem contemplar dificuldades apontadas em três regionais da cidade

Fonte: Crea-MG

​Selecionar e premiar as melhores ideias de requalificação de espaços, equipamentos e sistemas de mobilidade urbana em Belo Horizonte. É este o objetivo do Concurso Acessibilidade para Todos, que recebe propostas entre os dias 19 e 27 de maio de 2016. Até o dia 17 de maio, consultas e esclarecimentos podem ser feitos junto à organização do concurso.

O concurso premiará as melhores propostas em três áreas com diferentes dificuldades de circulação como trechos com declividade acentuada da Regional Centro-Sul, trecho com calçadas estreitas da Regional Noroeste e Estação Vilarinho de integração do transporte coletivo da Regional Venda Nova. A ideia é que as soluções encontradas para essas áreas específicas possam ser replicadas em outros espaços com problemas similares.

As inscrições podem ser feitas individualmente ou em grupo e o coordenador da equipe deve ser das áreas de engenharia ou arquitetura e urbanismo, além de estar em situação regular com seu respectivo Conselho – Crea para engenheiros, CAU para arquitetos urbanistas. Já os demais membros da equipe podem ser de outras áreas, inclusive estudantes. Para​ participação individual é permitida no caso da pessoa com deficiência ser o próprio profissional. “A participação de profissionais que vivenciam a cidade é fundamental para desenhar espaços com um olhar mais inovador e atento às necessidades dos habitantes”, ressaltou a engenheira civil Paula Rocha, coordenadora de Mobilidade Urbana e Acessibilidade do WRI Brasil Cidades Sustentáveis.

Além de incentivar a requalificação urbana, o concurso abre a oportunidade de diálogo entre “quem planeja” e “quem usa” a cidade, uma vez que as propostas só serão aceitas se elaboradas em conjunto com uma pessoa com deficiência. Para David César, cadeirante, portador da Síndrome de Hanhart, a regra é um dos pontos altos do concurso. “Eu considero que há duas coisas muito urgentes quando falamos de acessibilidade, que são as calçadas e o transporte público. Hoje já temos leis do tipo, que vem com as propostas arquitetônicas e de reforma das calçadas, mas isso ainda está restrito aos grandes centros. No meu bairro, eu tenho que andar no canto da rua, porque as calçadas ainda são muito ruins”, disse David.

Quem já atua há mais tempo na área de acessibilidade também elogia a iniciativa. “Antigamente, era difícil conseguir até mesmo um número de participantes para um seminário. Hoje, está mais difundido. O concurso tem a questão do aproveitamento das propostas, o que beneficia a sociedade como um todo” avalia o engenheiro civil Vitto Duarte.

O Concurso Acessibilidade para Todos é promovido pela WRI Brasil Cidades Sustentáveis, com apoio técnico do Crea-Minas, BHTrans, CAU-MG e IAB-MG e apoio institucional de várias entidades de pessoas com deficiência e da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de BH.

Mais informações sobre o concurso podem ser encontradas no site http://concursoacessibilidade.org