Comitê Técnico de Mobilidade da RMBH compartilha conhecimentos e experiências

 

O Comitê Técnico de Mobilidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte (CTMob) reuniu-se, nesta quarta-feira (31/8), sob a coordenação da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte. A reunião se deu a pedido dos membros do comitê com o objetivo de compartilhar de conhecimentos e experiências que facilitem a gestão da mobilidade metropolitana. Os temas e os palestrantes também foram sugeridos pelos membros do comitê.

A pauta incluiu cinco exposições. A primeira, sobre inventário territorial, foi apresentada pelo representante da Ayra Inventário Territorial, Henrique Ribeiro, que  demonstrou que  a RMBH já está totalmente mapeada, incluindo partes terrestres e aéreas. “O produto cartográfico regulamentado é o grande diferencial da empresa”, destacou.

A exposição sobre o mapa de declividades de BH ficou a cargo do representante do Instituto de Geociências da UFMG (IGC/UFMG), Rodrigo Nóbrega, que elaborou, neste ano, o mapa da declividade de Belo Horizonte. “Esse mapa permite a interface entre o produto gráfico e o banco de dados, o que pode nortear diferentes tipos de trabalhos”.

O desenvolvimento orientado pelo transporte sustentável foi ministrado por Luiza Oliveira, da WRi Brasil, organização internacional sem fins lucrativos que trabalha com questões vinculadas à sustentabilidade, como por exemplo as ligadas ao transporte público de qualidade. Ela ressaltou a necessidade de um planejamento integrado nas regiões metropolitanas que envolva a participação de todos os atores das cidades que as compõem.

Bicicleta nos Planos foi o tema da exposição de Guilherme Tampieri, da BH em ciclo, organização social militante do transporte cicloviário que participou, juntamente com a BHTrans, da criação do programa municipal “Pedala BH”.  Ele destacou que é preciso entender o que as pessoas estão falando e quais são as suas necessidades, e, principalmente, ter uma participação ativa da sociedade no planejamento urbano. Segundo ele, umas das necessidades atuais é a construção de estações autônomas de reparo de bicicletas.

O coordenador das Câmaras Temáticas do Crea-MG, responsável pela elaboração do relatório das rodovias federais em MG, Oswaldo Dehon, fez uma avaliação dessas rodovias no Estado, ressaltando que, do ponto de vista da governança metropolitana, os mecanismos estão sendo bastante desafiadores.

O subsecretário de Regulação de Transportes da Setop, Renato Guimarães Ribeiro, lembrou a todos a necessidade de se pensar também nas menores cidades da RMBH nos trabalhos de elaboração do Plano de Mobilidade, uma vez que o grande desafio é que ele possa contribuir com todos os municípios da região.

A diretora-geral da Agência RMBH, Flávia Mourão, encerrou a reunião falando da necessidade de se construir um plano de mobilidade que seja exequível, com um sistema interligado de mobilidade. Ela destacou que, para isso, a articulação de todos é fundamental, mesmo que hoje ainda não haja respostas para todas as demandas que surgem.

Notícias Recentes